­

William T Stead foi o Editor do jornal "Pall Mall Gazette", um dos principais jornais de Londres. Um bom amigo do Exército da Salvação, Stead foi considerado por alguns como o homem mais poderoso da Grã-Bretanha na época. Ele fez uma visita pessoal ao avivamento e o London Methodist Times registrou a seguinte entrevista com ele (citado no livro "O Mundo em Chamas" por Rick Joyner).

“Bem, Sr Stead, o senhor esteve no avivamento. O que acha dele?”

“Senhor”, respondeu o Sr. Stead, “a pergunta não é o que eu penso dele, mas o que ele pensa de mim, de você e de todo o resto de nós. Porque é uma coisa muito real, esse avivamento, uma coisa viva que parece ter um poder e uma força que podem agarrar muitos de nós presentes como meros espectadores.”

“O senhor acha que ele está em curso, então?”

“Um avivamento é algo como uma revolução. Está apto para ser maravilhosamente cativante”.

“O Senhor fala como se tivesse medo que o avivamento cruzasse o seu caminho.”

“Não, não é isso. Medo não é a palavra correta. Espanto exprime melhor o meu sentimento. Porque você está na presença do desconhecido. Você leu histórias de fantasmas e pode imaginar o que sentiria se estivesse sozinho à meia-noite, num quarto assombrado de algum castelo velho, e ouvisse um passo vagaroso e furtivo infiltrando-se pela corredor onde se diz que anda o visitante do outro mundo. Se você for ao sul de Gales e observar o avivamento, você se sentirá assim. Existe algo lá do outro mundo.  Não se pode dizer de onde vem e para onde vai, mas ele se move e vive, e estende a mão para você o tempo todo. Você vê homens e mulheres abaixarem-se em agonia de gemidos diante dos seus olhos como se a Mão invisível agarrasse o seu coração. E você treme. É muito sério, eu lhe digo. Se você tiver medo de emoções fortes, é melhor você tirar o corpo fora do avivamento”.

“Mas é tudo emoção? Não tem ensino?”

“Um pouquinho. Você acha que ensino é o que as pessoas querem num avivamento? Estas pessoas, todas as pessoas em uma terra como nossa são ensinadas até a morte, ouvem pregação até ficarem insensíveis. Todos conhecem as verdades essenciais. Sabem que não estão vivendo como deveriam, e nenhuma quantidade de ensino acresentará alguma coisa àquela convicção.”

“Então, que entendo que a sua impressão geral foi favorável?”

“Como poderia ser de outra forma? Eu não senti a influência daquela Mão invisível? Não ouvi a explosão alegre de uma melodia que abençoava a confissão de alguns que verdadeiramente encontraram a salvação? Naturalmente, é verdadeiramente encontraram a salvação? Naturalmente, é tudo muito parecido com o que tenho visto no Exército da Salvação. E fiquei maravilhado de ver que, pelo menos, as igrejas galesas estão reconhecendo o ministério igual dos homens e das mulheres... Existe uma espontaneidade maravilhosa acerca de todos, e até agora seus frutos têm sido bons e apenas bons.”

“Vai durar?”

“Nada dura eternamente neste mundo mutável... Mas, se a analogia com todos os outros avivamentos anteriores for boa, esse despertar religoso estará influenciando para o bem a vida de incontáveis homens e mulheres que estarão vivendo, trabalhando e levando em frente esse nosso mundo de Deus muito tempo depois que você e eu nos reunirmos aos nossos pais.”

­