­

BurroInstruir‑te‑ei, e ensinar‑te‑ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos. Não sejais como o cavalo ou a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio, ou não virão a ti.- Salmo 32:7-8

Quando aceitamos Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador e entregamos a nossa vida a Ele, nós nascemos de novo, começamos uma nova vida e assumimos uma nova identidade como filhos e filhas, adotados na família de Deus. João, o apóstolo, resumiu este processo quando ele escreveu: "Mas a todos os que o receberam, àqueles que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus"1.

Como filhos e filhas de Deus, nós temos um Papai que quer falar conosco. O próprio Senhor Jesus nos deu a chave do Seu ministério quando Ele explicou que "o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só pode fazer o que vê o Pai fazendo", acrescentando que "o Pai ama o Filho, e lhe mostra tudo o que faz"2. Na mesma forma, Papai quer falar com todos os seus filhos adotivos.

Leia mais

OraçãoO Evangelho do Reino é a boa noticia que o Reino de Deus se faz presente, "amarrando o valente"1, invadindo o reino do maligno e libertando os seus cativos. Esta libertação é principalmente a salvação, quando almas são "tirados do poder das trevas e transportadas para o Reino do Filho"2, porém a autoridade de nosso Rei se manifesta também "destruindo as obras do diabo", através de curas, libertações e manifestações de Seu poder sobrenatural. Quando proclamamos "este Evangelho do Reino"3, podemos, sim, esperar que veremos manifestações sobrenaturais da presença do Reino acompanhando a pregação.

O próprio Senhor Jesus pregou e manifestou a presença do Reino:

E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. - Mateus 9:35

e refereu-se à libertação como prova da presença do Reino de Deus:

Mas se eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente a vós é chegado o reino de Deus. - Lucas 11:20

Leia mais

O menino Jesus na manjedouraJosé, seu marido, sendo justo e não querendo difamá-la, resolveu deixá-la secretamente. Projetando ele isto, em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.

Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta: A virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamarão pelo nome de Emanuel, que quer dizer: Deus conosco. - Mateus 1:19 a 23

Neste trecho da história do nascimento do Senhor Jesus, nós temos uma referência a uma estranha profecia do Antigo Testamento, em Isaías capítulo 7, versículo 14:

Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: A virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.

Sabemos que o Messias foi chamado de Jesus, o Cristo (Ungido). Ele mesmo se chamou do "Filho do Homem" (ex. Mateus 8:20, 25:31) numa clara referência à profecia de Daniel (Daniel 7:13). Porque, então, esta profecia disse que Ele será chamado de Emanuel, Deus conosco?

Leia mais

panelasIndo eles de caminho, entrou numa aldeia. E certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa. Tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra.

Marta, porém, andava distraída em muitos serviços e, aproximando-se, disse: Senhor, não te importas de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude.

Respondeu-lhe Jesus: Marta, Marta, estás ansiosa e preocupada com muitas coisas, mas uma só é necessária. Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. - Lucas 10:38 a 42

Nesta história nós temos duas irmãs - Marta e Maria - que naquele dia receberam uma visita do Senhor Jesus na sua casa. É obvio que as duas O amaram, e estavam muito felizes com a Sua presença, porém nas reações das duas nós vemos duas respostas diferentes à Sua visitação.

Leia mais

PombaO Senhor Jesus mandou que seus discípulos esperassem "na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder" (Lucas 24:49). A grande tarefa da evangelização mundial não poderia ser feita – nem mesmo por estes homens que tinham sido discipulados pelo próprio Senhor Jesus - sem a capacitação do Espírito Santo:

"Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra." - Atos 1:8
 

No dia de Pentecoste, depois de dez dias esperando pela "promessa do Pai", os cento e vinte seguidores de Jesus ficaram cheios do Espírito Santo. Além das manifestações sobrenaturais daquele dia - incluindo a manifestação do dom de línguas, permitindo que os discípulos proclamassem as obras de Deus nos idiomas natalícios dos visitantes estrangeiros que estavam na cidade - nós vemos também a transformação das vidas e dos ministérios daqueles que receberam o poder do Espírito Santo.

Leia mais


­